Conheça a história de Maria Clara Araújo

Publicado em 02/07/2018

Moro com a minha mãe, trabalhadora autônoma que sempre me apoiou muito, e minha irmã. Sempre tive vontade de realizar intercâmbio, mas a barreira era a questão financeira. Nunca tive condições.

O programa Jovens Embaixadores (JEs) é um programa de responsabilidade social da Embaixada dos Estados unidos no Brasil, que procura por jovens que tenham perfil de liderança e sejam engajados em causas sociais em prol da comunidade. Foi por meio dele que pude fazer minha primeira viagem internacional e realizar o sonho de conhecer outro país! O Programa é todo patrocinado pelo Departamento de Estado Norte-Americano. Eles pagam da passagem aérea e até alimentação. A única coisa que a gente custeia é o passaporte, porque, afinal, é um documento pessoal.

Os pré-requisitos para participar do Jovens Embaixadores são basicamente ter entre 15 e 18 anos, ser aluno de escola pública e participar de algum projeto social/voluntariado na comunidade. O prêmio é uma viagem de três semanas para os Estados Unidos. São selecionados 50 jovens do Brasil todo, então além de você viajar e conhecer a cultura norte-americana, tem a oportunidade de conhecer mais sobre nosso próprio País.

Eu sou de Brasília, fui selecionada para participar dos Jovens Embaixadores ano passado, quando tinha 17 anos e estava no último ano do ensino médio. De Brasília, eu e o João Gabriel Lenza, atualmente estudante do 3º ano, fomos os únicos selecionados. Hoje tenho 18 anos e estou cursando Letras - Português, na Universidade de Brasília (UNB). Meu trabalho voluntário, assim como o do João Gabriel, era feito em nossa própria escola.

Eu sempre tive facilidade com a Língua Portuguesa e essa era uma das minhas matérias preferidas. Em 2016, minha professora Joana Melo, começou um projeto de oficina de redação e aulões para preparar os alunos para o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) e o PAS (processo seletivo para entrar na UNB). A escrita hoje em dia é uma competência muito importante de se ter. Então, ela me selecionou para ajudar os alunos interessados com monitorias de redação, já que escrever é uma habilidade com a qual sempre tive muita facilidade. Durante meu ensino médio participei de vários concursos de redação e fui premiada na maioria!

Fiquei sabendo do JEs por meio do site Partiu Intercâmbio (uma plataforma online para encontrar bolsas de estudo), criado por uma Jovem Embaixadora, a Bruna Amaral, participante da primeira edição do programa, em 2003. Quando vi o site pela primeira vez, as inscrições já tinham fechado. Então, um ano depois, me inscrevi. Tive de preencher um application (mandar documentos, etc) e fui selecionada para fazer as provas escrita e oral. Fui aprovada em ambas as fases e fizeram uma visita na minha casa - a partir dessa etapa a gente vai para fase final com todos os finalistas do Brasil.

O resultado dos jovens embaixadores foi divulgado ao vivo. Então é bem emocionante assistir. Ver meu nome na lista dos selecionados foi incrível, não pude acreditar! A embaixada te auxilia em tudo! A viagem é incrível! A gente aprende sobre trabalho voluntário, justiça social, diversidade... conhece várias culturas, pois os EUA são mais diversificados do que a gente imagina!

Durante o JEs a gente tem mentores que nos ajudam e ensinam muito. Temos palestras, workshops sobre liderança, fundraising e public speaking. O Programa é ótimo porque te ajuda a desenvolver muitas habilidades pra você se tornar uma pessoa socialmente engajada e estimula suas inteligências emocional e interpessoal num nível inimaginável! Ah! Durante a viagem a gente também tem a oportunidade de viver com uma família americana por duas semanas. É incrível!

Fazemos amizades que com certeza serão levadas para a vida toda! Na última semana a gente desenvolve um protótipo de projeto que podemos implementar na nossa comunidade quando voltarmos para o Brasil. O meu é sobre educação. Aprendi muito sobre o poder transformador que a educação pode ter, mas não só na viagem. Percebi que se não fosse minha professora Joana e outros profs que me inspiraram e incentivaram, eu provavelmente não teria a oportunidade que tive!

Hoje, participo de vários trabalhos voluntários. Implementei um projeto de monitoria e outro para divulgar oportunidades no meu Centro de Línguas. Aqui no Distrito Federal a gente tem os CILs (Centro Interescolar de Línguas), em que alunos de escola pública podem aprender um segundo idioma de graça!

O JEs é maravilhoso! Apesar de grandioso, é só uma sementinha no futuro de quem participa! Por causa do impacto que causou na minha vida, fui recentemente selecionada para outro programa, o South America Business Forum - um fórum de três dias na Argentina para aprender com grandes personalidades das áreas acadêmica, política e econômica.

Sim! Eu sei como parece uma coisa pouco palpável realizar o sonho de fazer intercâmbio, mas ele pode estar mais próximo da nossa realidade do que a gente pensa. As oportunidades, apesar de não serem abundantes, existem! Utilizar a internet como uma ferramenta para auxiliar na busca de bolsas é uma ótima opção. Também é sempre bom participar de atividades extracurriculares, seja quais forem, porque geralmente as organizações que oferecem bolsas de estudo e intercâmbios procuram pessoas engajadas e com um propósito.












X